Mariana Palma

 Trabalho com pintura, desenho e fotografia. Meus trabalhos tratam do excesso, valendo-se de fragmentos da botânica, do drapejamento, da estamparia e da arquitetura, que se miscigenam em telas carregadas de exuberância. Participei de inúmeras exposições coletivas – e algumas individuais – no Brasil, em Portugal, na Europa e nos Eua. Meu trabalho esta presente em numerosos acervos públicos e privados. 

 

1. Mariana Palma.

Artista, na maior parte do tempo, pintora

2. O que vês quando olhas para a tua obra?

Vejo o mundo ao meu redor.

3. Que elementos não podem faltar numa exposição tua?

A beleza.

4. O teu processo artístico em poucas palavras.

O meu processo é a minha vida inteira, tudo cabe nele, e se dá a todo o tempo.

5. Artistas vivos ou obras que são uma referência para ti.

Sandra Cinto, Ernesto Neto, Matthew Barney, Marina Abramovic, Bill Viola...são artistas que amo. Mas me vem à cabeça uma extensa lista de nomes de artistas mortos, talvez os mais significativos como referencia para o meu trabalho.

6. Tendências que tens percebido ou acompanhado nas artes contemporâneas nos últimos 15 anos.

Não vejo nenhuma que importe

7. O que é que tu colocarias no teu cabinet de curiosités?

Janelas

8. A experiencia como artista residente no CDAP.

Não tive a oportunidade de residir no CDAP, mas me fascina o lugar, o projeto, as pessoas. Participei de uma coletiva e fiz um print para uma edição. Sempre que se fala no CDAP sinto principalmente saudade do Paulo Reis. Conheci poucas pessoas tão interessantes e tão interessado nos outros quanto ele. Transbordava vida, humanidade, era incansável. Seu sorriso largo ecoa ate hoje em uma serie de projetos que deixou para nós. Obrigada Paulo!

Toggle collapsible region

desenvolvido por white imago