Edgar Pires

Sem Título / Sala Branca 2014

SINOPSE
Durante um ano em residência no Carpe Diem Arte e Pesquisa, Edgar Pires deu continuidade aos seus projectos de intervenção in situ, desenvolvidos em exposições anteriores. No Palácio Pombal, explorou a luz solar como fonte para criação de imagens adaptada às características singulares da Sala Branca. Desenvolveu inúmeros ensaios espontâneos no seu interior, através de processos que deram azo a imagens efémeras de luz, maioritariamente documentadas em fotografia, outras, mais pontuais, em vídeo. Nesta fase, não existiam objectos, apenas a ideia de uma instalação composta apenas de imagens de luz/reflexos, projectadas no interior do palácio. O propósito deste projecto, alterou-se e culminou num conjunto de três objectos escultóricos em vidro plano que irão filtrar a luz solar que entra pelas janelas, e provocar uma transformação em termos luminosos no interior da sala durante duas horas.

BIOGRAFIA
Edgar Pires nasceu em Oeiras em 1982. É licenciado em Escultura, pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa em 2007. Destaca-se no seu percurso, as exposições individuais Incolor, Sala do Veado em Lisboa (2013), Luz, Espaço e Acções, Sala Bebé / Espaço Avenida, em Lisboa (2012), (Re)acção, Lagar do Azeite, em Oeiras (2009); as exposições colectivas, Superfície/Obstáculo, com Nuno Rodrigues de Sousa, Residência COOP, em Lisboa (2013), Entre Muros – Junho das Artes, em Óbidos (2010) e foi artista residente no Carpe Diem Arte e Pesquisa (2013/14); prémios, (2009) Menção Honrosa - Jovens Criadores Aveiro 09 – categoria escultura, (2006) primeiro lugar (ex-aequo) com o Prémio Fundação Marquês de Pombal – Artes plásticas/ Arte Contemporânea – Jovens Artistas, em 2006.

Toggle collapsible region

desenvolvido por white imago