Pedro Calapez

GYMNASIUM (diário íntimo)

Pedro Calapez (Portugal)

 

“Imaginei uma larga sala. Nela, os desenhos, que não me saíam da cabeça e se encontraram depois nas minhas mãos, descobrem o seu lugar: uns contra os outros, uns ao lado dos outros”. Aí ocupam o espaço, revelando o refazer diário de pequenas histórias. Estes desenhos fazem assim surgir o local do exercício, o lugar dos movimentos e gestos, o estruturar do pensamento.

O gymnasium, na antiga Grécia, existia para a prática dos jogos públicos mas também um lugar de produtiva convivência social. Os atletas competiam nus, uma postura que promovia a fruição estética. É de um público jogo que trato aqui, um jogo que depende do olhar do outro, do seu movimento, dos percursos possíveis na sala da ginástica dos desenhos. Estes estão “nus”, apesar de escondidos no seu artifício: assim despidos afirmam aquilo que são, linhas negras num fundo liso cor do alumínio.  No seu desígnio de revelarem imagens, as linhas, de múltiplas dobras enrolando-se sobre si próprias, criam labirínticos caminhos em que se procura um princípio sem fim; a crueza do seu traço relembra no entanto todas as possíveis cores que os poderiam preencher. São pensamentos circulares a treinarem o nosso olhar.”  Pedro Calapez, Fevereiro 2012

 

Pedro Calapez nasceu em Lisboa, em 1953, onde vive e trabalha. Iniciou os seus estudos em engenharia civil mas mudou mais tarde para a Escola das Belas Artes. Enquanto frequentava Belas Artes, trabalhou como fotógrafo profissional até 1985, quando foi capaz de dedicar-se exclusivamente à pintura. Pedro Calapez exibe a nível internacional desde os anos 80 e apresentou o seu trabalho em muitos museus e galerias importantes. Participou em 1986 na Bienal de Veneza e  em 1987 e  em 1991 na Bienal de São Paulo. Na parte da língua alemã da Europa, o seu trabalho foi apresentado em 1999 no Kunstmuseum Bonn na exposição "Tage der Dunkelheit und des Lichts".

Toggle collapsible region

desenvolvido por white imago