Alejandro Somaschini

Arquivo Carpe Diem
Alejandro Somaschini (Argentina)  
 
Alejandro Somaschini – as experiências do artista argentino aproximam-se das experiências de um cientista, pois o seu interesse é investigar campos tão distintos quanto a escrita, a botânica, a taxidermia, a paleontologia, a astrologia, a astrofísica, a etnografia e, em última instância a museologia, ou para sermos mais exactos, o carácter de fetiche que os aparatos culturais têm na nossa sociedade. Por isso a necessidade de processar os dispositivos técnicos e cognitivos das ciências em destaque, para devolver ao espectador sob a forma de arte. Em Arquivo Carpe Diem, Somaschini apresenta um falso laboratório onde são expostos os diferentes sistemas históricos de conservação dos alimentos. Utilizando materiais como o sal, o mel, a cera de abelha e o fogo sobre superfícies como o papel, o couro e a cerâmica, o artista cria uma câmara de conservação, mas também um arquivo de imagens, objectos, texturas que dão conta do espaço histórico no qual está situado, o Palácio Pombal. Ao recorrer a este dispositivo classificativo de entreposto, local de conservação e trocas comerciais, Alejandro Somaschini evoca o papel histórico de Portugal, em especial a zona portuária de Lisboa, desde a antiguidade até o processo de colonização dos séculos XV ao XX. O seu Arquivo Carpe Diem é uma cápsula de conservação que, para o artista, “poderá ajudar aos povos do futuro ou de outro planeta a conhecer nosso mundo depois da eminente catástrofe que a humanidade viverá”.
  
Co-produção: Galeria Progetti Rio

Toggle collapsible region

desenvolvido por white imago