Raúl Hevia + Antonio Díaz Grande

M.U.S.E.A.

Antonio e Raúl (Espanha)

Modos y usos sobre espacios de arte

 

O projecto MUSEA procura colocar em questão o espaço dedicado à exposição e o processo de atribuição de valor ao objecto artístico, através dos receptáculos canónicos fundamentais “museu” e “centro de arte”, transfigurados nesse outro receptáculo denominado “saco de museu”, por sua vez entendido como um prolongamento natural do “museu-pai” do qual provém.

Neste projecto, cada saco é em si mesmo mais uma sala (portátil), que expande a experiência artística e a determina em função de cada utilizador e do posterior uso que lhe é atribuído, em todas as suas possíveis variações.

MUSEA revê a lógica do sujeito e do objecto, reorganiza a ideia de receptáculo como máquina de controlo, o estatuto de obra artística bem como as consequências culturais e sociais do utilizador. Propõe esse futuro próximo onde cada um poderá levar o seu museu na mão e mudar o conteúdo segundo critérios aleatórios.

MUSEA é um exercício de tomada de consciência.

 

 

ANTONIO DÍAZ GRANDE (Santander, 1968) vive e trabalha em Santander.

Artista autodidacta cuja investigação artística se centra, principalmente, no espaço  privado ou doméstico, seus usos e as personagens que possam transitar, intervir ou gerar actividade sobre ele, o modificando ou lhe dando qualquer tipo de sentido. Nos seus projectos nutre-se dos recursos decorativos destes espaços, do mobiliário como objecto funcional mas também metafórico, utilizado por personagens que são ao mesmo tempo protagonistas e mobiliário, figura e fundo, desculpas que servem para falar de seus géneros e a identidade, bem como as diferentes relações que se estabelecem através dos objectos.

Seu trabalho tem podido ver-se em numerosas exposições individuais e colectivas, tais como Meaning making (N.E. Washington, Varsovia, Bruxelas), Mulier mulieris (M.Ou.A. Alicante), Scarpia 2011 (Cordoba), Encapsulados (Berlim), bem como na II Bienal de Canárias (Espanha) ou a XVI Bienal de Cerveira. Tem participado nas feiras  Swab, Arte Lisboa, JusMad, Hot-art Basel.

Desde o ano 2004 colabora com Raúl Hevia em vários projectos artísticos paralelos a sua produção individual.

É representado pela Galeria Nuble de Santander, Espanha.

 

 

RAÚL HEVIA (Oviedo, 1965) vive e trabalha em Santander (Espanha)

 Doutorando em História de Arte pela Universidade de Oviedo,

Seu trabalho desenvolve-se em torno do questionamento dos modos de narração da intimidade, as formas de expressão do eu contemporâneo (o próprio, presente e passado, e os vínculos entre eles) através da fotografia e  do vídeo, sublinhando a parte plástica da linguagem escrita e a transposição do verbal ao visual.

 

Entre outras, fez parte do programa de residência artística na 16ª Bienal Ceveira; seu trabalho tem podido ver-se ultimamente em “Meaning making” (Nova York, Washington, Varsovia, Bruxelas), nas feiras Estampa, ARCO, Hot-art Basel ou JustMad2. Acaba de apresentar seu último projecto Instrucciones para ser mi propio padre e publicado o livro de fotografia Manual para ser mi propio padre, editado pela La Gran.

Desde o ano 2004 colabora com Antonio Díaz Grande em diferentes projectos artísticos. Suas imagens fazem parte de coleções internacionais, públicas e privadas.

É representado pela Galeria Nuble de Santander, Espanha. 

 

Apoio: Galería Nuble; Gobierno de Cantabria-Consejería de educación cultura y deporte


Toggle collapsible region

desenvolvido por white imago